1 de mar de 2011

Foi-se o Moacir

Confesso que Scliar nunca foi um dos meus escritores prediletos. Li poucos romances completos dele e estou me propondo a ler obras deixadas pra trás (O O exército de um homem só, por exemplo). Mas o lia bastante pelas crônicas, principalmente as publicadas em todos os cantos de Zero Hora. Mesmo as crônicas de jornal, preferia a de outros caras, embora admirando suas informações e raciocínios. Às vezes o achava por demais "em cima do muro", zeloso em "não ferir suscetibilidades". Não tenho dúvida que é uma perda de um baita intelectual brasileiro e gente boa, como pude comprovar "ao vivo" nas vezes que o assisti palestrando em eventos.

Nenhum comentário: